Fala, vestibulande! Trouxemos para você hoje tudo que você precisa saber sobre grupos sanguíneos para o Enem e vestibulares tradicionais. Mas, antes, gostaria de lhe perguntar algumas coisinhas: Você sabe qual é o seu tipo sanguíneo?? E de seus pais?? Você sabia que, antigamente, quando não se tinha conhecimento sobre os diferentes sistemas sanguíneos, a galera fazia transfusão sem ter conhecimento de que o sangue das pessoas não é necessariamente igual.

 

Pois é, bb, devido ao desconhecimento, muitos acidentes fatais ocorreram. Portanto, saber seu tipo sanguíneo é uma informação curiosa e que pode até salvar sua vida em alguma emergência.

 

A DESCOBERTA DO SISTEMA ABO

 

No início do século XX, o médico austríaco Karl Landsteiner e colaboradores descobriram a existência de grupos sanguíneos através de pesquisas feitas a partir do sangue de várias pessoas diferentes.

Eles observaram que, quando o sangue de uma pessoa era misturado ao de outra pessoa, o sangue podia ou não se aglutinar.

 

karl-landsteiner

 

MAS O QUE É O SISTEMA ABO?

 

O sistema ABO é o mais importante grupo sanguíneo na medicina transfusional. Para tal sistema são conhecidos quatro tipos de grupos sanguíneos: ABAB e O.

Esses tipos são caracterizados pela presença ou não de certas substâncias na membrana das hemácias, os aglutinogênios, e pela presença ou ausência de outras substâncias, as aglutininas, no plasma sanguíneo.

 

Existem dois tipos de aglutinogênio (A e B) e dois tipos de aglutinina (anti-A e anti-B). Os aglutinogênios exercem o papel de antígeno, enquanto que as aglutininas exercem a função de anticorpos.

Observe:

 

manbrana-hemacias

 

anticorpo

 

– Pessoas do grupo A possuem aglutinogênio A nas hemácias e aglutinina anti-B no plasma;

– Pessoas do grupo B têm aglutinogênio B nas hemácias e aglutinina anti-A no plasma;

– Pessoas do grupo AB têm aglutinogênios A e B nas hemácias e nenhuma aglutinina no plasma;

– Pessoas do gripo O não tem aglutinogênios na hemácias, mas possuem as duas aglutininas, anti-A e anti-B, no plasma.

 

Você sabia????

Os antígenos ABO não estão restritos apenas à membrana dos eritrócitos, podendo ser encontrados também em uma grande variedade de células como linfócitos, plaquetas, endotélio capilar venular e arterial, células sinusoidais do baço, medula óssea, mucosa gástrica, além de secreções e outros fluídos como saliva, urina e leite.

 

GENÉTICA e SISTEMA ABO

 

Em termos genéticos, o sistema ABO envolve três padrões de herança: polialelia, dominância completa e codominância.

 

polialelia

 

  • Por que polialelia?

Porque são observados três alelos para a herança desse caráter = IA, IB e i.

 

  • Quais alelos são dominantes?

Perceba que a relação entre IA e i, bem como a relação entre IB e i, envolvem sinal de > (maior que) o que significa que o alelo i tem sua ação mascarada pela presença dos alelos IA e IB. Em outras palavras, o alelo i só se manifestará se aparecer em dose dupla (ii = homozigose).

 

  • Quais alelos exibem relação de codominância?

Agora note que entre os alelos IA e IB a relação é de igualdade, o que significa dizer que, quando ambos aparecem juntos no mesmo indivíduo, os dois se manifestam.

 

Você sabia????

A letra I significa isoaglutinação, ou seja, aglutinação de sangue entre indivíduos da mesma espécie.

 

A tabela abaixo demonstra quais os tipos de genótipos possíveis para cada fenótipo (grupo sanguíneo).

 

voce-sabia-a

 

SISTEMA ABO e TRANSFUSÃO

 

Como já foi dito anteriormente, o sistema ABO é o mais importante na medicina transfusional, devido aos riscos de incompatibilidade que se apresentam em transfusões feitas equivocadamente.

 

Se uma pessoa receber sangue incompatível com o dela, poderá ocorrer AGLUTINAÇÃO. As aglutinações acontecem quando uma pessoa possuidora de determinada aglutinina recebe sangue com o aglutinogênio correspondente.

 

Portanto, quando você for resolver uma questão que aborde esse tópico, faça estas duas perguntas para verificar se a transfusão é possível ou não:

 

  1. Qual o antígeno do doador?
  2. Qual o anticorpo do receptor?

 

Agora veja os exemplos seguintes:

 

recebedor-doador

 

Resumindo:

 

universal-anticorpo

 

Observe que o tipo AB pode receber de todos os grupos sanguíneos, sendo considerado o receptor universal. Isso é possível graças ao fato de ele não apresentar aglutininas em seu plasma. Por outro lado, o tipo AB só pode doar para AB.

Já o grupo O é considerado o doador universal por poder doar para todos os grupos. Isso acontece porque, como ele não apresenta aglutinogênios em suas hemácias, ninguém vai reconhecer esses glóbulos como um corpo estranho. Por outro lado, esse grupo só pode receber de O.

 

SISTEMA ABO e TIPAGEM SANGUÍNEA

 

Para determinar o tipo sanguíneo da pessoa, são utilizados soros contendo as agutininas anti-A e anti-B.

 

São colocadas gotas de sangue em lâminas de vidro e, sobre cada uma delas, é colocado um pouco de soro de um tipo em cada gota e espera-se um tempinho. Depois olhamos as gotas para verificar se houve ou não aglutinação.

 

gotas-sangue

 

Para entender melhor o que isso significa, veja a imagem abaixo:

 

anti-a-anti-b

 

E aí, meu future universitárie… até aqui tá de boas???

Vamos falar de algo bem legal e curioso agora…

Você já leu algo a respeito do Efeito Bombain (também conhecido como Falso O)???

Então vamos nessa…

 

O Efeito Bombaim correspondente a menos de 1% da população. A incidência destes casos é maior na Índia, principalmente em Mumbai, também chamada de Bombaim – justificando o nome dado a este fenômeno.

 

As técnicas tradicionais de determinação dos grupos sanguíneos os identificam como se fossem de sangue O, porém os seus genótipos podem ser IAIA, IAi, IBIB, IBi ou IAIB.

 

Mas como isso é possível?

Isso pode ser explicado da seguinte forma: um alelo chamado H, determina a produção de um fator responsável pela expressão do fenótipo do sistema ABO. Assim, indivíduos HH ou Hh sintetizam uma enzima que é responsável pela formação do antígeno H que, por sua vez, pode ser transformado em antígeno A ou B.

 

polissacaridico

 

Porém, quando o alelo H não está presente, ou seja, em casos de indivíduos homozigotos recessivos (hh), não há formação do antígeno H e, consequentemente, os antígenos A e B não serão formados, mesmo que a pessoa possua os alelos para tais grupos. Então é manifestado um fenótipo de sangue do tipo O independentemente do seu genótipo verdadeiro.

 

fenotipos-genotipos

 

Como diferenciar o grupo O verdadeiro do O falso?

  • Utilizando o soro anti-H.

 

soro-anticorpo-gota-sangue

 

ATENÇÃOOOOOO!!!!

 

fenotipo-bombaim

 

FATOR Rh

 

Tem esse nome por causa de um estudo com sangue de um macaco do tipo Rhesus.

 

Seguido do Sistema ABO, é o sistema de maior importância clínica e o mais complexo. Compreende uma série de antígenos que também são encontrados na membrana das hemácias. Os principais antígenos são: C, D, E, c, e. Dentre esses, o mais importante é o antígeno D., porque tem maior significado clínico.

 

As expressões Rh positivo e Rh negativo referem-se, respectivamente, à presença ou ausência de antígeno D.

 

Em termos genéticos, os sistema Rh envolve apenas um par de alelos com dominância completa  ➡  R ou D > r ou d

plasma

 

Como acontecem as transfusões no sistema Rh?

 

doa-nao-doa

 

Considerando o Sistema ABO e o fator Rh, qual o doador universal ideal? E o receptor universal ideal?

 

pode-doar-receber

 

  • Doador universal ideal = O negativo
  • Receptor universal ideal = AB positivo

  

FATOR Rh e ERITROBLASTOSE FETAL

 

Também conhecida como Doença Hemolítica do Recém-nascido (D.H.R.N.), essa doença resulta da incompatibilidade entre o sangue da mãe (Rh negativo) e o filho (Rh positivo).

 

eritroblastose-fetal

 

É caracterizada pela destruição das hemácias do feto o do recém-nascido por anticorpos anti-Rh produzidos pela mãe.

Durante a gestação, ocorre a passagem, através da placenta, apenas de plasma da mãe para o filho e vice-versa, devido à chamada barreira hemato-placentária (BHP).

Podem ocorrer, entretanto, acidentes vasculares na placenta permitindo a passagem de hemácias fetais para a circulação materna.

Nos casos em que a mãe é Rh negativo e o feto possui sangue Rh positivo, os antígenos existentes em suas hemácias estimularão o sistema imune materno a produzir anticorpos anti-Rh que ficarão no plasma materno e podem, por serem da classe IgG, passar pela BHP provocando lise das hemácias fetais.

 

sensibilizacao

 

Na primeira gestação, a criança não é afetada, pois, geralmente, o contato entre o sangue da mãe e o sangue do filho ocorre na hora do parto. A partir daí o organismo materno produzirá anticorpos anti-Rh. Para evitar que isso aconteça, logo após o parto, a mulher deve tomar um soro específico contendo anti-Rh, que destruirá as hemácias fetais, impedindo que a mãe fique sensibilizada.

 

Caso a mãe não tenha se precavido após a primeira gestação, a eritroblastose fetal pode ocorrer. Durante a segunda gestação, se o feto também for Rh”, os anticorpos anti-Rh que a mulher tem em seu corpo identificarão os antígenos Rh do feto e com isso ela produzirá mais anticorpos anti-Rh.

 

Ufaaaa…quanta coisa interessante!! Agora que você aprendeu sobre a herança dos grupos sanguíneos, que tal praticar um pouco??? Simboraaaaa….

 

Ahh, clicando neste botão aqui embaixo, você garante 20% de desconto em todos os planos do Explicaê.

 

cupom-desconto-20-porcento

 

Comentários